Vem aí um novo curso gratuito sobre tecnologia para desempregados

Description: O secretário de Estado do Trabalho, Miguel Fontes, vai estar na apresentação, esta segunda-feira, do programa AWS re/Start destinado a pessoas em situação de desemprego ou subemprego. O objetivo é capacitá-las para novas oportunidades profissionais nas áreas tecnológicas. Já ouviu falar de computação na cloud? Ou melhor: da disponibilização de serviços informáticos ou de bases de dados através da internet? Saiba que a Amazon Web Services (AWS) e o Governo vão disponibilizar um programa gratuito de formação para a capacitação de desempregados ou à procura de emprego nestas áreas da tecnologia. O objetivo é preparar estas pessoas com competências práticas para o seu futuro profissional, nomeadamente a elaboração de currículos ou técnicas de entrevistas. Os formandos vão obter conhecimentos sobre redes, Linux (sistemas operativos), segurança e bases de dados. A primeira turma com 20 formandos já iniciou os trabalhos no dia 10 de outubro. O único requisito é ter acesso a um computador e à internet. O lançamento do Programa AWS re/Start decorre esta segunda-feira, pelas 15.30 horas, no Auditório da Associação Empresarial de Portugal, Av. Dr. António Macedo, 196 – Leça da Palmeira. Fonte: JN

Publish Date: 19-10-23

Posso escolher qualquer formação ou qualquer entidade formadora?

Description: Não. A formação escolhida deve ser prestada por uma entidade formadora certificada pela Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT). Pode consultar todas as entidades formadoras certificadas no site da DGERT, pesquisando, por exemplo, por distrito, concelho, área de formação ou denominação social. Também são elegíveis formações dadas por entidades que contemplem nos seus diplomas de criação ou autorização de funcionamento o desenvolvimento de atividades formativas. Além disso, só são elegíveis candidaturas referentes a ações de formação realizadas em regime presencial ou em regime misto, ou seja, que contemplem horas de formação presencial e à distância. As ações de formação realizadas totalmente à distância, em plataformas online, não são elegíveis. Também não são elegíveis para apoio as ações de formação: que já tenham sido objeto de qualquer outro tipo de financiamento público ou comunitário; exigidas por legislação específica, nomeadamente para acesso a profissões regulamentadas; ou que visem, em parte ou na sua totalidade, a mesma formação já feita pelos candidatos e apoiada no âmbito do Programa “Emprego + Digital 2025”. Fonte: DECO

Publish Date: 10-09-23

Como posso candidatar-me?

Description: As candidaturas ao apoio "Cheque-Formação + Digital" abriram a 8 de setembro e podem ser feitas através de formulário eletrónico, disponível no portal IEFP online, seguindo os passos indicados abaixo. 1 - No canto superior direito do portal do IEFP online, clique em "Registe-se". Pode entrar com as suas credenciais de acesso à Segurança Social Direta ou com os dados da sua chave móvel digital. Se já tem registo, basta clicar em "Entrar". 2 - Clique em "Registe-se como candidato" e preencha todos os dados pedidos, como o NIF, a nacionalidade ou o número do seu documento de identificação. Por fim, clique em "Registar". 3 -  De seguida, clique em "Apoios & Incentivos", "Formação" e, por fim, em "Cheque-Formação + Digital". 4 - Clique em "Submeter Candidatura", no topo do menu do lado direito do ecrã. 5 - O formulário de candidatura tem quatro separadores, que devem ser preenchidos com os dados pedidos. Os seus dados de identificação deverão aparecer automaticamente preenchidos no primeiro separador, com base na informação que colocou no seu registo de candidato. Deve acrescentar os dados que ainda não estão preenchidos e confirmar que estão completos e atualizados. No final, deve validar. 6 - O segundo separador diz respeito à ação de formação escolhida. É aqui que deve identificar a entidade formadora ou o local onde irão ocorrer as sessões de formação. Preencha todos os campos, sem exceção, e clique em "Validar". 7 - Avance para o terceiro separador, onde deve anexar toda a documentação exigida pelo IEFP. No final da página encontra a listagem de tudo o que é exigido. Depois de carregados todos os documentos obrigatórios, um a um, clique em "Validar". 8 - O último separador serve para declarar a veracidade da informação introduzida. Clique em "Validar". O portal deverá indicar se a candidatura reúne todas as condições para ser submetida. Se for esse o caso, irá ser-lhe apresentado o ID da sua candidatura. 9 - Ao clicar na página de "Candidaturas a Apoios" terá acesso à candidatura ao apoio "Cheque-Formação + Digital". Fonte: DECO

Publish Date: 10-09-23

6º Congresso Internacional sobre Condições de Trabalho

Description: O CICOT2023 decorrerá nos dias 5, 6 e 7 de setembro de 2023 e será em modo híbrido, com sessões presenciais e outras online. A vertente presencial será realizada no edifício da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. O congresso também contará com a organização da 1ª Escola de Verão sobre Condições de Trabalho, considerando a disponibilização de um conjunto de workshops integrados na programação do congresso. Mais informações em: https://ricot.com.pt/PT/congresso.php

Publish Date: 05-09-23

Governo quer rever lei de segurança e higiene no trabalho com 14 anos

Description: O Governo quer avançar, em 2024, com uma revisão da lei de segurança e higiene no trabalho, com 14 anos, começando com discussões no âmbito de um livro verde semelhante ao do futuro do trabalho, foi hoje anunciado. A informação foi avançada à agência Lusa pelo secretário de Estado do Trabalho, Miguel Fontes, que na segunda-feira e hoje representou Portugal numa cimeira organizada pela presidência sueca da UE sobre saúde e a segurança no trabalho no âmbito do programa estratégico 2021-2027, em Estocolmo. Em declarações à Lusa no final do encontro, Miguel Fontes explicou que "o compromisso é fazer uma revisão da legislação em 2024, sem prejuízo de começar já esse processo, no âmbito de um livro verde, para esta ser uma revisão consolidada e holística". "A lei é de 2009 e é preciso mudar algumas matérias", pelo que o Governo vai avançar com "um livro verde que tem como objetivo lançar uma grande discussão para o futuro de segurança e saúde no local de trabalho para atender às novas dimensões", como as preocupações com a saúde mental e o direito a desligar, as novas formas de organização do trabalho com fenómenos como o 'burnout', a sinistralidade nalguns setores de atividade, elencou o governante. Miguel Fontes comparou que esta iniciativa será semelhante ao livro verde do futuro do trabalho, "que deu origem à Agenda do Trabalho Digno", com 70 medidas para melhorar as condições de trabalho e a conciliação entre a vida pessoal, familiar e profissional dos trabalhadores. "Vamos desenvolver trabalhos no âmbito deste livro verde até ao final do ano de 2023 e criar um relatório em janeiro de 2024, mas durante este tempo vamos olhar para a legislação, muto em função das recomendações e da análise dos especialistas e lançar campanhas de promoção e sensibilização para esta questão da segurança e higiene no trabalho não ser apenas uma obrigação legal e burocrática nem apenas 'checklist'", explicou. Outra dimensão a ter em conta é a dos acidentes de trabalho fatais, dada a elevada incidência registada em Portugal, de 2,72 por cada 100 mil trabalhadores, acima da média europeia. "Não me resigno com esta fatalidade e vamos ser ainda mais exigentes nos setores onde a sinistralidade é maior, como a construção civil, os estaleiros de obras, os setores agrícolas e extrativo, ligado às minas e às pedreiras, e a indústria em geral", salientou Miguel Fontes, destacando a "grande prioridade" do executivo de colocar a Autoridade para as Condições do Trabalho a apostar na prevenção e fiscalização. Nesta que foi a primeira cimeira europeia sobre a matéria, esteve em cima da mesa uma análise aos progressos do quadro estratégico da Comissão Europeia para a saúde e a segurança no trabalho 2021-2027. Entre os temas abordados estão a saúde mental na vida profissional, o papel dos parceiros sociais, a abordagem da visão zero para as mortes relacionadas com o trabalho, os efeitos das ondas de calor e das alterações climáticas no domínio da segurança e saúde no trabalho e ainda as estratégias nacionais de segurança e saúde no trabalho. Fonte: Notícias ao Minuto

Publish Date: 16-09-23

Share

Live traffic