Oeiras Formação Portugal
22-09-18 0 Acessos

Um aluno tirou uma foto ao prato principal do almoço que lhe serviram na Escola Secundária Sebastião e Silva, em Oeiras: salsichas com atum, mais nada. A mãe indignou-se. O diretor do agrupamento culpa os alunos que não reservam as refeições de véspera.



Aconteceu na quarta-feira, quando a ementa escolar indicava frango com massa, mas a alguns alunos foi servido salsichas e atum, conforme um deles fotografou. Além de sopa, pão e uma maçã. A mãe partilhou a imagem no Facebook, com a legenda "Algo não está bem quando, na Escola Secundária Sebastião e Silva - Oeiras, consta do menu escolar 'massa com frango', mas aos alunos é servido 'salsichas com atum' sem qualquer acompanhamento. Salsichas COM atum???".


O post originou uma onda de críticas e a reação do vereador da Educação da Câmara Municipal de Oeiras, que pediu explicações à direção escolar, que, só nessa altura, reagiu. "Tenho dito inúmeras vezes que nenhum aluno fica sem almoçar aconteça o que acontecer", começou por justificar Domingos Santos, diretor do Agrupamento de Escolas de São Julião da Barra (AESJB), que tem sede na Escola Secundária Sebastião e Silva.

E conclui: "Na quarta-feira houve um número elevado de alunos que vieram comer ao refeitório sem terem marcado a refeição até às 17:00 do dia anterior como está estipulado. Os que não marcaram, deviam ter ficado para o fim, o que não aconteceu. Acabou o frango com a massa e a cozinheira abriu uma lata de atum, quando acabou o atum, serviu salsichas e fritou batatas."

A escola tem 1500 alunos, entre o 7.º e 12.º anos, sendo que 300 comem diariamente no refeitório. Segundo Domingos Santos, a empresa que serve as refeições, Uniself, faz mais 15/20 refeições, mas na quarta-feira, o número de excedente foi muito maior.

"Quando falta comida tem de se improvisar e, na quarta-feira, improvisou-se com atum e salsichas", sublinha Domingos Santos, garantido que a cozinheira os serviu com batata frita.

O DN apurou junto de outros funcionários da Escola que a "improvisação" não aconteceu apenas na quarta-feira. Ontem acabou o bacalhau à brás e serviram aos alunos atum com massa espiral.

Explicaram que tem havido alguma confusão nesta primeira semana de aulas e que alguns alunos não conseguiram reservar as refeições. Apesar disso, a Uniself não terá sido informada do sucedido. "A empresa está obrigada a cumprir o caderno de encargos e servir o número de refeições marcadas até às 17:00 da véspera", justifica o diretor do agrupamento.

Segunda-feira, diz Domingos Santos, "quem não marcou a refeição e tem uma razão para isso acontecer não fica sem comer, mas têm que ficar para o fim para evitar o erro cometido na quarta-feira. Os que não marcaram não têm que se queixar. O que correu mal é que alguns alunos reservaram uma refeição de frango e massa e não foi isso que lhes serviram. Se voltar a acontecer, mesmo comendo, é-lhes devolvido o dinheiro que pagaram. "Cada refeição custa 1,45 cêntimos, mais 50 Cêntimos se for comprada no próprio dia".



In DN


Enviar mensagem


Related ads

Governo aumenta para 30 o número de bolsas para alunos ciganos

O Governo vai aumentar de 25 para 30 o número de bolsas de estudo para alunos universitários ciganos, anunciou hoje o ministro Eduardo Cabrita, no âmbito do programa "Opre", uma medida "histórica" que permitiu "rasgar mentalidades". O anúncio foi feito… _


Pub

Ação

Status

1316525 vistas

6267 Anúncios

13201 usuários